Atendimento: (86) 3221-0099

DMI PEDIATRIA

Academia Americana de Pediatria lança novo guia sobre medição de pressão em crianças

Apesar de as crianças geralmente não sofrerem as consequências da condição durante a infância, a pressão alta aumenta as chances de ataque cardíaco, derrame e doenças nos rins no futuro.

Tamanho da letra:
A
A
Publicado em: 13 de outubro de 2017

Pressão alta não é problema exclusivo dos adultos, mas ainda é uma condição subdiagnosticada em crianças. Por isso, a Academia Americana de Pediatria lançou um documento de 74 páginas de como a medição deve ser feita nos pequenos na consulta ao médico.

Os problemas de diagnóstico ocorrem porque o aparelho usado para medir pressão nas crianças é o mesmo que o dos adultos o que provoca distorções nos resultados. Além disso o nível de pressão considerado normal varia de acordo com a idade, gênero e altura da criança.

Para corrigir esses problemas, a Academia Americana de Pediatria criou uma tabela que corrige as medidas para crianças de 3 a 18 anos e pode ser usada pelos pediatras.

Em 2016, um estudo publicado no jornal Pediatrics com 1,2 milhões de pacientes entre 3 e 18 anos, concluiu que apenas 1 em 4 casos de pressão elevada em crianças era corretamente diagnosticado.

Apesar de as crianças geralmente não sofrerem as consequências da condição durante a infância, a pressão alta aumenta as chances de ataque cardíaco, derrame e doenças nos rins no futuro.

 

Confira dicas contra a hipertensão

 

- Corte o consumo excessivo de sal da comida da sua família. O ideal é usar, no máximo, uma colher (chá) rasa por pessoa/dia.

- Fique de olho na hidratação. Crianças devem consumir cerca de 1 litro e meio de água por dia.

- Deixe o refrigerante só para ocasiões especiais, como aniversários. No dia a dia, ofereça água e sucos de frutas naturais.

- Incentive a atividade física (brincadeiras, jogos). E brinque junto com as crianças!

Fonte: Crescer