Atendimento: (86) 3221-0099

NOTíCIAS

B-R-O-BRÓ e baixa umidade do ar exigem cuidados com a saúde

Especialista dá dicas de como proteger a saúde respiratória

Tamanho da letra:
A
A
Publicado em: 03 de setembro de 2019

 

Com a chegada do período mais quente do ano no Piauí, o conhecido B-R-O BRÓ, e a baixa umidade do ar que já predomina nos últimos dias, é necessário redobrar os cuidados com a saúde. O sistema respiratório é um dos mais afetados nesse período.

“Moramos em um local de clima quente e seco, além de ter o ambiente com o ar condicionado, que retira a umidade e deixa o ambiente ainda mais seco. É essencial a hidratação. Para quem tem problema de ressecamento nasal, deve-se lavar bastante o nariz. Existe gel hidratante de mucosa, que também ajuda a hidratar”, explicou o otorrinolaringologista Antônio Luís de Lima.

O especialista afirma que algumas ações podem fazer diferença nesses dias. “Deixar um vaporizador de água nos ambientes ajuda nos dias quentes e com umidade baixa. Em casa, pode deixar uma toalha molhada no ambiente ou bacia com água. Essas atitudes ajudam a melhorar a sessão de ressecamento das vias aéreas”, indicou Antônio Luís Melo.

O otorrino alerta ainda para a necessidade de cuidados principalmente com os idosos. “O idoso naturalmente já não gosta de beber água e, em um clima seco, ele pode desidratar. Assim, pode evoluir para um quadro de infecção urinária. Também pode ocorrer problema na via aérea. Quando resseca a mucosa, você tem uma chance maior de ter infecção, como sinusite, bronquites e até pneumonia. Com o idoso, temos que nos preocupar bastante”, ressaltou.

Atividades físicas

O médico Antônio Luís de Lima afirma que, caso seja possível, o ideal é que as pessoas não pratiquem atividades físicas entre 10h e 16h. “Sabemos que cada um tem uma disponibilidade, mas o recomendado seria praticar atividades de manhã cedo ou à noite. Entre 10h e 16h a umidade normalmente está ainda mais baixa. Mas caso esse seja o horário disponível, deve-se redobrar o cuidado com a hidratação”, reforçou o otorrinolaringologista.